Open top menu
sábado, 16 de abril de 2016

Ele chegou como um dos bons investimentos feito pelo Vitória para a temporada. A torcida aprovou, botou fé e teve suas expectativas correspondidas até agora. Marinho sabe que divide os holofotes com Kieza, maior investimento do Leão nos últimos anos, mas, atualmente, é ele quem carrega o título de “o cara” do time. 
Dentro de campo, ele honra a tatuagem que carrega no braço esquerdo, o desenho de um leão. Artilheiro do Vitória e líder de assistências, os números de “Di Marinho” - como foi apelidado pela torcida rubro-negra, em referência ao craque argentino Di María - agradam até os mais críticos.

Das 10 vezes que o Vitória entrou em campo neste ano, Marinho esteve presente em oito. E entre os 20 gols marcados pelo clube, seis saíram dos pés dele, sendo três no último jogo, contra o Náutico-RR, na quarta-feira. Além disso, foi garçom para três gols.

O camisa 7 tem gol de tudo que é jeito. Na estreia do Campeonato Baiano, diante da Juazeirense, um chute rasteiro, dentro da área. No jogo seguinte, contra o Vitória da Conquista, em uma linda cobrança de falta, no ângulo. Novamente contra o time de Juazeiro, já pela semifinal, bastou um chute colocado.

Contra o Náutico-RR, pela Copa do Brasil, foi um festival. O primeiro foi jogada de quem conhece. Marinho deixou quatro adversários para trás e bateu da entrada da área. No segundo, ele mostrou que artilheiro não pode perder gol besta e marcou após tomar a bola do goleiro. O último, também com oportunismo, foi cara a cara com o gol.
Marinho terá a chance de mostrar de novo sua soberania no dia 21, quando o Leão recebe a Juazeirense no Barradão e pode até perder por um gol para ir à final do estadual.

Fonte:Correio
Tagged
Different Themes
Written by Lovely

Aenean quis feugiat elit. Quisque ultricies sollicitudin ante ut venenatis. Nulla dapibus placerat faucibus. Aenean quis leo non neque ultrices scelerisque. Nullam nec vulputate velit. Etiam fermentum turpis at magna tristique interdum.

0 comentários